quinta-feira, 31 de julho de 2008

Nós e o Paul McCartney em Ville de Québec

Segunda-feira, 14 de julho, Paulo chega da Francisação com o jornal na mão e boquiaberto: "o Paul McCartney vai fazer um show gratuito dia 20 de julho, em Ville de Québec, em comemoração aos 400 anos da cidade... não acredito...". Meu primeiro comentário:" Temos que ir!!!". E assim começa mais um capítulo da nossa história no Canadá...

Ficamos loucos com a notícia, pois o Paulo é fã do Paul McCartney e eu sempre fui louca pra conhecer Ville de Québec. Resolvemos unir o útil ao agradável... Mas para que o passeio ficasse ao menos acessível, resolvemos convidar alguns dos nossos amigos pra ir conosco, assim poderíamos dividir as despesas com o combustível e com a estadia, sem ficar pesado no bolso de ninguém. E assim fizemos! Bruno e Jean, Rosana e Thiago, todos toparam na hora! Agora, só faltava descolar um lugar bacana pra gente ficar hospedado... uma novela à parte. Segundo notícias de alguns conhecidos que moram lá, a cidade estava lotada desde o início do verão, ainda mais esse final de semana por conta do show. Então, vamos partir pra guerra! Marcamos uma reunião estratégica aqui em casa na terça-feira à noite para decidir os detalhes da viagem, pesquisar estadia e tentar fazer reserva. Mandamos mais de 65 e-mails para albergues e B&B na cidade e estava quase tudo lotado. Mas vale destacar a cordialidade deles com relação à nossa busca, todos os e-mails foram respondidos! Mesmo sendo para dizer que sentiam muito pois não havia vagas, acreditam?! Inclusive, quatro deles fizeram contato por telefone para dizer que não tinha mais nenhum quarto disponível... Isso é Canadá...

Então, já meio desesperados, partimos em busca dos campings nos arredores da cidade, mas até eles estavam completamente cheios. O que vamos fazer?? Já no final da manhã de quarta-feira a madame Marie-Thérèse, do albergue Sault-a-la-puce respondeu nosso e-mail dizendo que o albergue estava cheio mas que ela poderia nos oferecer um chalé, ao lado do albergue, com três quartos, banheiros e cozinha; mandou algumas fotos em anexo, e disse que poderia fazer por Cad$200,00/noite. Quando vimos as fotos, topamos na mesma hora!!

Vejam no Youtube o vídeo que o Bruno fez do chalé, assim que chegamos: http://www.youtube.com/watch?v=70Q1_kwT-a4

Partimos no sábado pela manhã. Levamos 5h exatas até Ville de Québec, passando por estradas maravilhosas. Largamos nossas coisas no chalé (que por sinal é um pouco afastado de centre ville) e fomos bater pernas pela cidade!!! Andamos até a hora que a chuva deixou. Fotografamos bastante (Ville de Québec é linda!!!) e terminamos o dia ansiosos pela chegada do domingo e do show.

Domingo saímos de casa por voltas das 9h e fomos tomar café da manhã no Chez Cora. Dali partimos direto em busca de um estacionamento para deixar o carro e seguir para o local do show. Esperamos sentados na calçada das 13h até 16h, quando rolou um alarme falso e todo mundo se levantou para se posicionar frente ao portão de entrada. A abertura dos portões do parque Champs-de-Bataille só aconteceu mesmo às 18h. A apresentação foi feita em Plaines d'Abraham.

Nem temos muito o que dizer, pois o show de Paul McCartney foi simplesmente PERFEITO!!! Apesar de estar lotado, cerca de 250 mil pessoas, foi tudo muito organizado, com telões gigantescos espalhados pelo parque, uma maravilha. ADORAMOS!!!!

Segue uma "fotinha" típica de quem visita Ville de Québec! Quem quiser ver todas as fotos e vídeos dessa nossa primeira aventura fora dos limites de Ottawa-Gatineau, basta visitar nosso álbum de fotos, no menu lateral direito do Blog. Divirtam-se!!

Em frente ao Chateau Frontenac,
o hotel mais fotografado do mundo!

Aos nossos amigos Jean e Bruno, Rosana e Thiago, companheiros de viagem e de show, o nosso muito obrigado pela companhia, foi muito legal!!! Temos mesmo de repetir a dose...

Abraços! Lu e Paulo

domingo, 13 de julho de 2008

CHEO - Children's Hospital of Eastern Ontario

Resolvi escrever esta postagem exclusiva sobre o CHEO - em francês, Centre Hospitalier pour Enfants de l'est de l'Ontario - para tranqüilizar futuros imigrantes que têm filhos pequenos e que já saem do Brasil preocupados com a questão da saúde no Québec.

Como a maioria das pessoas envolvidas no processo de imigração já sabe, esse assunto aqui é um caso realmente sério. E por mais que essa situação seja absolutamente incompatível com o status de primeiro mundo que o Canadá detém, depender da ala de urgência dos hospitais daqui (principalmente na cidade de Gatineau) é um verdadeiro caos.

Mas nem tudo está perdido, para nós que moramos à coté de la capitale nationale. Basta atravessar a ponte e já estamos em outra província, onde as coisas são um pouco diferentes daqui, inclusive o atendimento hospitalar. E falando especificamente das crianças, grande preocupação de qualquer pai e mãe que chega de mala e cuia num novo país, CHEO é o lugar!

Pois é, no dia 12 de junho fomos pegos de surpresa com um telefonema da escola da Carol dizendo que ela havia se machucado enquanto brincava no intervalo após o almoço, e que ela estava sentindo muita dor, que deveríamos buscá-la para levar ao hospital. E agora?? Sabíamos que se fôssemos ao Hospital de Hull ficaríamos horas esperando sem nada ser resolvido. Então, me lembrei de uma conversa que eu havia tido meses atrás com a Gislaine e com o Eduardo
justamente sobre saúde. E eles tinham comentado conosco sobre um hospital só para crianças em Ottawa, que já haviam levado a Gabriela lá, e que era muito bom, etc. Ligamos para eles para pegar as coordenadas de como chegar e fomos.

Realmente, não há comparação com nada que já conhecemos aqui no Québec até agora. Num prazo total de 2h15 a Carolina foi medicada (logo na chegada, pois estava chorando de dor), fez o cadastro no hospital, fez um raio-X, foi atendida pelo médico e fez uma tala. Não houve fratura (apesar de ter batido a mão contra o muro com toda a força, jogando basquete), mas ela estava sentindo muita dor. Então, o médico resolveu imobilizar por uma semana e encaminhá-la ao especialista para verificar se havia uma lesão no ligamento. Antes de sairmos da sala ele disse que o hospital entraria em contato conosco na semana seguinte para dizer o horário e o local do retorno. Fantástico! Além disso, todo o pessoal do hospital que nos atendeu foi superatencioso, simpático e educado. Quando viam que a Carol não falava o inglês e sim o francês, mesmo os que não dominavam a língua tentavam se comunicar com ela em francês. Achei o máximo! E detalhe, tudo feito com a carteirinha da Assurance Maladie do Québec.

Na semana seguinte, dito e feito. Uma atendente me ligou, já em francês, marcando o retorno direto com uma especialista. Como eu não poderia ir e nem o Paulo e nem a Carolina falam o inglês, pedimos para a Marina ir com eles dar uma força. A médica retirou a tala e avaliou o polegar direito diagnosticando que o ligamento realmente havia sido lesado com a pancada. Diante disso, encaminhou-os para um prédio anexo ao hospital onde uma ergoterapeuta assumiu o "caso". Ela moldou na própria mão da Carol um aparato chamado ortese. É feito de um material novo, meio plástico, que quando quente fica mole e pode ser moldado diretamente sobre o local lesado. Aí a terapeuta colou um velcro nas extremidades e pronto. Isso significa que ela pode retirar o imobilizador sempre que molhar a mão, para secá-lo ou lavá-lo. Bem Legal! E ela o moldou de forma que somente a área lesada fica imóvel, o pulso fica solto. Disse, inclusive que a única atividade realmente proibida seria o voleibol, o resto, estava liberado! Muito interessante.

Hoje completam 6 semanas que Carol está com o polegar imobilizado, prazo estipulado pela médica. E como acertado no último retorno antes da viagem ao Brasil, a partir de hoje ela não precisa mais ficar com ele 24h por dia, somente nos períodos em que estiver se movimentando mais, brincando... e dia 3 de setembro volta ao consultório da especialista para ver o resultado do tratamento. O custo?? Somente Cad$10,00, pelo material usado na confecção do ortese, como uma taxa de manutenção, para que o consultório nunca deixe de ter material quando necessário. Show de bola!! Adoramos!

Carolina com a tala colocada na emergência do CHEO

Então é isso... para quem tem filhos de até 18 anos, não se preocupem. Pelo menos para eles, um ótimo atendimento médico-hospitalar já está garantido!

Abraços a todos!

Lu

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Programação de verão

Bom, só para variar, muitas coisas aconteceram desde a última postagem...

O mês de junho já começou animado, com um churrascão de Dia dos Pais (aqui, comemorado no terceiro domingo de junho) lá na casa do Alexandre e da Valéria. Até picanha eles encontraram para fazer a alegria da brasileirada que já está aqui há mais tempo. Cada família levou uma coisinha e estava tudo delicioso. O único detalhe que fugiu um pouco ao nosso controle foi a chegada da chuva. Achamos que seria passageira, mas nada... o churrasco foi finalizado na varanda mesmo!!! Mas foi ótimo! Conversamos até cansar, comemos mais ainda e as crianças brincaram à bessa também. Precisamos repetir a dose!

Emanuel já cuidando de tudo, antes da chuva chegar...

... cada qual com sua cadeirinha dobrável, na área externa
que tem atrás da casa do Alexandre e da Valéria

Com a chegada da chuva, a churrasqueira teve de ser transferida para a varanda!

Alguns dias depois, passamos pela Fête Nationale du Québec, a Fête de Saint Jean Baptiste, padroeiro do Québec, que é comemorada com feriado e tudo mais no dia 24 de junho, com muitos shows e festas espalhados por toda a província. Na noite do dia 23 eu e o Paulo fomos assitir a uma grande queima de fogos programada para o final das apresentações musicais que estavam rolando lá na Marina de Aylmer. Foi muito bonito, mas bem canadense; quando o show pirotécnico acabou, todas as barraquinhas de cachorro-quente, jogos, parque de diversões e etc, acabou também! E todos caminharam organizadamente até o estacionamento para seguir seu caminho para casa. Muito doido isso aqui. A Carol nem estava com a gente, tinha ficado na casa da Juliana e do Giuliano, para dormir com a Ana Júlia e a Maria Luísa uma última vez antes delas partirem de férias para o Brasil.

Na semana seguinte veio a Fête du Canada, no dia 1º de julho. Foi outro feriado, agora nacional, repleto de atividades para todos os gostos. Até mesmo os museus estavam com as portas abertas e entrada franca durante todo o dia. Mas infelizmente não pudemos ver de perto a movimentação do também conhecido "Dia da Mudança". Carolina não estava se sentindo muito bem e acabamos ficando de molho em casa durante o dia, para ver ser ela melhorava para assistirmos ao menos aos fogos de artifício à noite, entre o Parc Jacques-Cartier e o Musée Canadien des Civilisations, que encerrariam as comemorações do dia. E assim fizemos. Mas estava tão lotado que tivemos de estacionar o carro no início da Boulevard Sacré-Coeur e ir andando até a ponte para assistir aos fogos. Mas valeu a pena, foi lindo!

Outro programa diferente que inventamos essa semana foi visitar uma "fazenda de morangos". Como assim? É uma grande fazenda que durante todo o ano faz um revezamento entre as culturas de frutas e legumes, e abre suas portas para o que eles chamam de auto-cueillette. Assim, as pessoas visitam a fazenda, compram uma cestinha e enchem-na com frutas até o topo, e ainda podem comer das frutas enquanto colhem. O nome do local é Potager Eardley, e nos meses de junho e julho a fruta da vez é o morango. Imaginem só se a Carolina não ficou louca com a idéia!! Foi bem divertido! Juntamos um grupinho (nós, Tati e André, Bruno e Jean, Tati e Emanuel, e a Andrea com as filhas Natália e Ana Lívia) e fomos, na quinta-feira à tardinha. Compramos a cesta média, de 3 litros, que voltou abarrotada pra casa. Ainda estamos comendo morango até hoje!





Pois é, e com a chegada definitiva do calor não faltam opções de passeios por aqui. Aliás, praticamente todo final de semana tem alguma atividade em alguma parte da cidade, começando na quinta-feira e terminando só no final do dia no domingo... bem legal!

Por falar nisso, o final de semana passado foi bem cheio. No sábado participamos de um pique-nique bem bacana no Lac Philippe, que fica dentro do Parc de La Gatineau. Ainda não conhecíamos nada desse que é o maior parque daqui, e adoramos! O encontro foi "promovido" pelo Rodrigo e a Luciana, casal de Brasília que já mora aqui há seis anos!! Eles queriam conhecer a brasileirada que vem se instalando aos poucos na região. Conhecemos ainda o Nilton e a Juliana, recém-chegados e amigos da Lu e do Rodrigo. E foi bem legal! O lugar é muito agradável, tem praia, canoas e caiaques para passear nas águas calmas do lago, mesas para pique-nique e até churrasqueiras espalhadas por toda parte. O local também conta com banheiros, duchas, telefone público,... Muito bom! E apesar de ser um pouco afastado de centre ville, cerca de 35km aqui de casa, já estamos programando outro passeio pra lá em breve.




No domingo resolvemos visitar outro dos vários parques da cidade, o Parc du Lac Beauchamp. Desde quinta-feira estava rolando por lá um concurso de esculturas na areia: Merveilles de Sable de Gatineau. O evento acontece todos os anos durante o verão, e conta com diversas outras atividades para toda a família. Como não conhecíamos o lugar, fomos só para ver as esculturas mesmo. Mas lá é um local para se chegar cedo e passar o dia inteiro. Assim como no Lac Philippe, tinham canoas, caiaques e até pedalinhos, a praia estava lotada (pois o calor estava infernal, um sol escaldante...), mesas para pique-nique, barraquinhas com lanches diversos (caros, claro, mas tinha), pintura de rosto, palhaços, brinquedos infláveis para a criançada, uma loucura. Mas o que achamos mais interessante de toda a hora e meia que passamos ali foi a trilha sonora. Fizemos questão de registrar para que depois ninguém dissesse que era balela nossa!

video


video





Mas a novidade da semana é bem outra: Carol foi para o Brasil!!! Sim, é verdade! Foi dia 08/07 e só volta no final das férias, dia 27/08. Está lá, toda faceira, curtindo a casa da vovó Maura e do vovô Nondas... Quando recebeu a notícia deu pulos de alegria, e nem quis mais saber de Camp de Jour. Nossa sorte é que tudo aqui é muito organizado e "descomplicado"; então, mesmo tendo feito a inscrição da Carolina para quatro semanas de Colônia de Férias, foi só apresentar a passagem aérea dela no departamento que cuida dos assuntos de laser e esporte da Ville de Gatineau e pronto, receberemos pelo corrreio o reembolso pelas duas semanas que ela não irá mais participar. Fácil assim!

Ah! Na semana passada eu e o Paulo fomos até o Emploi Québec para nos inscrever e solicitar nossa Equivalência de Estudos - que nada mais é que uma comparação entre os estudos feitos em nosso país de origem com o que eles têm aqui, para dizer o que é válido e o que não é, para aproveitamento na Universidade, por exemplo. Na verdade, quem faz a equivalência é o MICC - Misnistério de Imigração e Comunidades Culturais, mas como esse processo é pago, enquanto não estamos trabalhando o Emploi Québec paga por nós. O processo leva de três a quatro meses para ser finalizado. Estamos no agurado...

Então, é isso! Vou ficando por aqui. Só lembrando, quem quiser ver nossas fotos na íntegra, basta visitar nosso Álbum de Fotos, com link no menu lateral do Blog.

Abraços a todos!
Lu